Na história da humanidade, a grande maioria das imposições e agressões foram respondidas com reações igualmente agressivas. Você poderia dizer que a violência foi e é a reação natural ao terror. Enquanto o uso da força é o critério mais difundido, a alternativa de resistência não violenta provou sua eficácia.

Jesus Cristo, Gandhi e Luther King praticaram esta poderosa alternativa

Nas Sagradas Escrituras, especificamente nos Evangelhos de Mateus e Lucas, é feita referência a uma ideia famosa transmitida por Jesus de Nazaré: não há necessidade de se opor ao mal com uma má ação. Para exemplificar essa ideia, Jesus propôs "dar a outra face" quando somos vítimas de um ataque.

Esta atitude é logicamente excepcional e difícil de aplicar. No entanto, com esta mensagem, somos lembrados de uma idéia importante: para combater o mal, não devemos reagir da mesma forma.

Os apóstolos seguidores de Jesus foram consistentes com os ensinamentos de seu mestre e quando foram perseguidos pelas autoridades romanas, não reagiram com mensagens violentas e permaneceram firmes em suas convicções

Durante a vida de Gandhi, a Índia estava sujeita ao Império Britânico. Para enfraquecer a força do império e alcançar a independência de seu país, Gandhi liderou um movimento pacífico de resistência. Aqueles que o seguiram alcançaram seu objetivo final, quando a Índia alcançou a independência em 1948.

Seguindo os ensinamentos de Gandhi, o líder americano Martin Luther King se opôs à segregação racial de seu país. Em vez de propor confronto ou qualquer outra fórmula, ele defendeu uma resistência não-violenta e seu exemplo foi decisivo para a abolição das leis que mantinham o sistema de segregação racial.

O movimento Quaker

Quakers são cristãos e o termo oficial de sua doutrina é a Sociedade Religiosa dos Amigos. Aqueles que fazem parte deste grupo defendem um pacifismo radical e uma honestidade rigorosa.

Eles foram perseguidos por suas condenações, mas nunca reagiram com atos violentos. Os Quakers dos Estados Unidos tiveram um papel muito combativo contra a escravidão e tiveram problemas legais quando se recusaram a usar armas durante a Guerra Civil.

Uma atitude firme e corajosa com a qual é possível lutar contra inimigos

Os exemplos de Jesus, de Gandhi e de Lutero King têm em comum a mesma mensagem: é possível não recorrer à violência como única arma de defesa.

Esta atitude também expressa força moral e coragem. Nesse sentido, existem vários métodos utilizados pelos defensores da não-violência: denunciar agressão, mobilização social, não colaboração com qualquer proposta violenta, boicotar aqueles que legitimam ou justificam alguma forma de intimidação ou desobediência civil.

Imagem: Fotolia – Blattwerkstatt