Ninguém pode negar hoje o valor das redes sociais ao criar reivindicações ou dinâmicas de denúncia em situações que anteriormente passavam despercebidas ou não se conheceram massivamente. Nesse sentido, a voz que despertou nesse espaço e depois passa para a mídia tradicional e que busca relatar casos de abuso sexual ou assédio em diferentes espaços é conhecida como #MeToo ou # YoTambién em espanhol. Este movimento tem sido uma espécie de libertação e, ao mesmo tempo, cura para muitas mulheres, para as quais sua relevância é inegável.

As diferentes formas de abuso e a impunidade do silêncio

Embora hoje o termo "feminicídio" seja muito comum, a realidade nos mostra que existem muitas formas de violência e abuso que ocorrem diariamente por homens principalmente em relação às mulheres, mas também a crianças, membros da comunidade LGBT e outros. Um deles é abuso sexual e outros assédio, atos que são normais em muitas áreas: na família, no trabalho, no espaço público, na escola, etc.

É por isso que, com base na relevância que as redes sociais têm em nossas vidas, o hashtag "Me Too" foi criado para que todas as mulheres que desejem denunciar situações ou casos de abuso possam fazê-lo livremente e se sentir acompanhadas por outros. Isso também serve para aumentar a conscientização sobre o número infinito de casos que nos indicam, por outro lado, que essas práticas são naturalizadas no sistema patriarcal em que vivemos.

A presença de Hollywood e a descoberta de casos famosos

Durante o ano de 2017, as vozes aumentaram no mundo, e até então muitos tomaram o ideal: Hollywood. Ali, atrizes e mulheres famosas do show denunciaram situações de assédio e abuso por parte de grandes magnatas da indústria. Com eles, outras mulheres começaram a ser encorajadas a denunciar e contar suas histórias, a tal ponto que havia centenas que deram a conhecer os abusos, por exemplo, o produtor Harvey Weinstein, mas também atores e homens famosos.

Nos últimos tempos, as mulheres de Hollywood, com uma reputação que lhes permitiu levar a voz da denúncia muito mais além, organizaram-se para transformar esse grito de exaustão em um movimento que se concentrará em trabalhar pelos direitos das mulheres. mulheres, financiando os casos de denúncias para que mais mulheres sejam encorajadas a contar suas histórias e a elaborar projetos de assistência às vítimas.

Imagens: Fotolia – Rudall30, Sergio