Compreender como um ser humano implica que se reconhece como indivíduo, mas também como alguém que vive permanentemente na sociedade. Ao morar na sociedade, somos necessariamente obrigados a pensar em termos de coletivo, já que é isso que nos ajuda a avançar. Nenhuma revolução, nenhuma mudança ou transformação histórica e profunda já foi alcançada a partir da individualidade, mas sempre envolve o acompanhamento de um grande número de pessoas para que essas mudanças desejadas entrem em vigor. É por isso que a militância como uma busca para atuar na realidade para transformá-la torna-se vital em nossa qualidade de vida.

A constituição de nossa identidade individual do coletivo

Uma das propostas mais claras que a militância pode ter em cada uma das pessoas que decidem escolher essa atividade é poder se ver refletida nos camaradas que constituem o grupo escolhido para participar. É através desta tarefa que se entende que não é uma no mundo, mas está cercada por outras pessoas com quem compartilha sonhos, expectativas, objetivos e intenções.

Ao mesmo tempo, a militância sempre tem como objetivo mudar a realidade, de modo que fazer parte de um grupo nesse estilo nos permite chegar o mais próximo possível de transformar as coisas que gostaríamos de ser diferentes. Militar em uma festa, em um grupo ou mesmo em uma ONG é uma experiência que serve para sair um pouco de si mesmo, deixando o egocentrismo de lado e agindo sempre pensando nos outros, aqueles que mais precisam.

O equilíbrio entre compromisso por causa e vida pessoal

Embora ser capaz de viver a experiência de um grupo militar em um grupo é sempre algo que enriquece nossas vidas, é bom poder encontrar o equilíbrio entre fazê-lo e manter uma vida pessoal e privada rica ao mesmo tempo . Isto é porque muitas vezes se dedicando completamente e completamente a uma causa ou luta em que se acredita pode nos levar a negligenciar outros aspectos da nossa vida. Nós tendemos a acreditar que nossa presença é indispensável e, sem ela, não seria possível realizá-la, mas o desalinhamento do tempo dedicado à vida pessoal poderia nos trazer outros problemas.

Neste sentido, para poder desfrutar uma vida de militância em conjunto com o gozo de uma vida familiar, é algo que acrescenta aspectos positivos à nossa existência e nos ajuda a sentir-se mais cheios, pois vemos que as mudanças são alcançadas para outros, bem como para melhorias para si mesmo.

Imagem Fotolia: Raquel, Curto