Em algum momento de sua formação, os estudantes mexicanos precisam se familiarizar com o texto constitucional da nação, que está em vigor desde 1917. Assim, o artigo terceiro indica que o sistema de educação pública é laico e gratuito e o artigo 27 especifica que o Estado tem plenos direitos sobre a terra e a água de seu território e que a concessão de explorações será feita no país. termos estabelecidos pela nação.

Outra das seções relevantes é a inclusão de uma série de direitos trabalhistas para os trabalhadores (direito de greve, pagamento igual ao realizar a mesma atividade de trabalho ou dia de descanso).

Estes artigos referem-se a três aspectos fundamentais: educação, propriedade de bens públicos e direitos dos trabalhadores. Neste quadro, de uma perspectiva social, a Carta Magna de 1917 é considerada uma das mais avançadas do seu tempo.

Independentemente da relevância de alguns artigos, do ponto de vista histórico, a Constituição de 1917 é a mais antiga do contexto latino-americano.

A hegemonia do PRI no poder político surgiu como conseqüência do processo constituinte anterior à promulgação da Magna Carta

Os militares que emergiram vitoriosos após o período revolucionário foram os principais promotores do congresso constitutivo em que o texto final foi discutido.

A Constituição da nação mexicana foi promulgada em 5 de fevereiro de 1917 e um processo constitucional foi previamente produzido para sua preparação. Neste sentido, Venustiano Carranza foi a figura chave neste período e os Porfiristas, os militares derrotados no período revolucionário, não estavam presentes nos debates sobre a proposta constitucional. Para alguns analistas, essa circunstância determinou a hegemonia do PRI e a ausência de contrapesos políticos na história do México.

Em outras palavras, a autenticidade do sistema democrático tem sido questionada, uma vez que eleições democráticas ocorreram ao longo do tempo, mas os movimentos de oposição ao PRI tiveram um papel de testemunha.

Um documento que serviu de inspiração para outras nações

O reconhecimento dos direitos trabalhistas e sociais estabelecido na Constituição de 1917 foi um avanço no contexto global. Por essa razão, a constituição alemã da República de Weimar de 1919 e a constituição italiana de 1947 foram inspiradas pela Magna Carta mexicana.

Da mesma forma, alguns estudos destacam certas semelhanças entre a Constituição espanhola de 1931 e a Constituição mexicana de 1917, como a separação entre igreja e estado ou educação secular.