Independentemente da sua origem ou cultura, todas as pessoas têm um nome. Com ele, nos identificamos como indivíduos e, ao mesmo tempo, estabelecemos uma comunicação com os outros. Para qualquer indivíduo, as pessoas podem ser divididas em dois grandes blocos: aqueles que são conhecidos pelo nome e por todos os outros.

Como se chama?

A primeira coisa que fazemos quando conhecemos alguém é pedir seu nome. A partir desta informação concreta, podemos estabelecer um contato pessoal efetivo e fluido. Esta pergunta simples não é apenas uma questão de protocolo, pois já é possível uma troca de idéias e uma verdadeira comunicação.

Se todos os dias eu conheço o mesmo vizinho no elevador e nós dois nos cumprimentamos, estou cumprindo uma norma geral de educação e educação cívica

No entanto, se, além da saudação, eu estou chamando você pelo nome, estou fazendo outra coisa, porque estou comunicando várias idéias ao mesmo tempo:

1) Estou lembrando que eu sei quem você é e, portanto, não é sobre nenhum vizinho, mas sobre Antonio, Vicente ou Ana,

2) Ao mencionar seu nome, estou expressando maior proximidade com ele

3) De alguma forma, transmito para você o meu desejo de estabelecer um relacionamento cordial.

Todos nós já vimos algum filme em que um suicídio tenta ser resgatado por um policial ou um bombeiro. Nessas situações extremas, a questão do que você se chama adquire um significado especial. Com isso é alcançado que a comunicação entre o suicídio e seu salvador é mais íntima e sincera. Ao usar o nome do possível suicídio, ele pode experimentar um efeito psicológico tranqüilizador.

Placas de identificação com o nome do empregado

Em muitas empresas, os funcionários que servem o público possuem uma placa de identificação com o nome deles. Esta estratégia também tem um efeito na comunicação entre cliente e empregado. Com a placa de identificação, um mecanismo de relacionamento personalizado é ativado, porque o cliente não interage com um empregado indeterminado, mas fala com María, Verónica ou Luis. O trabalho que enfrenta o público baseia-se no atendimento ao cliente, que se sentirá bem cuidada se o dependente puder ser identificado com seu nome.

Algo parecido acontece com o trabalho dos telemarketers, porque a primeira coisa que esses profissionais fazem é comunicar seu nome e pedir ao cliente qual é o nome dele.

Imagens: Fotolia. Igor Zakowski / Srdjan